top of page
  • Foto do escritorAline Bertolo

In giro per Sicilia

Atualizado: 22 de nov. de 2023

Não é só de Limoncello e Canolli que a Sicilia é feita.

Nem só de fruti di mare, ou bons vinhos, expresso doppio, arancini ou granata...



E, mesmo depois de ter sofrido com um incêndio de proporções arrasadoras no meio desse ano e que transformou as suas paisagens coloridas naturais em tons de cinza e preto, a Sicília não perde seu encantamento – como tudo na Itália, não é mesmo!?


Essa ilha de notável cenário guarda muito mais do que a tradição italiana e a história de mouros decapitados, as Teste di Moro.


As famosas e peculiares Cabeças de Mouros, em português, enfeitam as sacadas das casas da Sicília e causam a maior curiosidade nos turistas, que não resistem a um par delas nas lojas de souvenirs. Reza uma das lendas que, uma jovem apaixonada cortou a cabeça de seu amante para que ele não voltasse para a sua mulher e filhos. Transformou a cabeça do amante em um vaso, onde plantou manjericão e expôs em sua sacada. O manjericão vingou tanto que a vizinhança toda queria um vaso igual. A boa notícia é que as reproduções começaram a ser feitas em cerâmica. Esse drama não poderia ser mais italiano.





Mas as reproduções não se limitam à arte antiquíssima. O movimento artístico urbano de hoje em dia é forte e, nem por isso, traz decadência. As intervenções contemporâneas na Itália hoje agregam à sua fama de uso da arte para dizer o que precisa ser dito por meio do belo e do bem-feito.




Outra experiência bem italiana – mas não imperdível – na capital Palermo é o trânsito caótico. Já o seu movimento urbano, a mistura do turismo incessável com os sicilianos frenéticos, é um deleite que eu diria que só a Itália proporciona. E que, também, é possível apenas em doses homeopáticas.


Cefalú é uma atração nada à parte e a sua mágica particular está em passear pelas suas ruelas de pedra e aproveitar a refrescância do Mar Tirreno nas suas praias.


Além de tudo isso, essa ilha cuida de um vulcão ainda ativo: o Etna. Cuja última erupção ocorreu em 2019. Radical e instagramável. Fica a dica.



Ahhhh, Sicília. Onde a vida segue fácil na areia e corre esbaforida nas cidades, mas nunca falta tempo para um espresso expresso.


Além do seu blu del mare, da sua cultura marcante moura e de seu vulcão de estimação, existe um espírito artístico e cultural urbano na capital Palermo que estampa a arte de rua sobre o que já existe há muito tempo. Criando uma tela interessante. Quase como um grito enérgico por quem está preso em uma ilha, submerso em ancestralidade.




32 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page